28.7.08

 

Nome vulgar: Lobo Ibérico.
Nome Científico: Canis lupus signatus
Área de Distribuição: Península Ibérica.
Habitat: Floresta, serras e planícies.
Hábitos alimentares: A alimentação é muito variada, dependendo da existência ou não de presas silvestres e dos diferentes tipos de pastoreio de cada região. As principais presas silvestres deste predador são o javali, o corço e o veado, enquanto que as presas domésticas mais comuns são os ovinos, os caprinos, os bovinos e os equinos. Pode também predar cães e alimentar-se de cadáveres de outros animais (necrofagia).
Comprimento: Entre 1,40 m e 1,80 m
Peso: Machos entre 30 a 40 kg, e fêmeas entre 25 a 35 kg.
Período de gestação: cerca de 2 meses.
Número médio de crias: 3 a 8
Longevidade: Em cativeiro, há registos de exemplares que viveram até aos 17 anos.
Estatuto de conservação: Em Perigo (Livro Vermelho dos Vertebrados ICN, de 1990)
Causas de declínio: perseguição directa (p.ex. veneno) e o extermínio das suas presas silvestres. O declínio é actualmente agravado pela fragmentação e destruição do habitat e pelo aumento do número de cães vadios/assilvestrados
A subespécie de lobo que habita a Península Ibérica designa-se cientificamente por Canis lupus signatus e foi descrita por Angel Cabrera em 1907. Outrora distribuindo-se por toda a península, actualmente encontra-se circunscrita às regiões do Centro-Norte e Norte.
Estima-se que na Península Ibérica, sobrevivam cerca de 2000 lobos, dos quais 300 em território português. Durante o século XIX os lobos eram numerosos em Portugal ocupando todo o território nacional. Contudo, já em 1910 era notório o seu declínio e apesar do actual estatuto de conservação do lobo, os estudos até agora realizados sugerem que a população lupina em Portugal continua em regressão, encontrando-se actualmente confinada à região fronteiriça dos distritos de Viana do Castelo e de Braga, à província de Trás-os-Montes e parte dos distritos de Aveiro, de Viseu e da Guarda. As causas do declínio do lobo são, fundamentalmente, a perseguição directa e o extermínio das suas presas selvagens - veado e corço. O declínio é actualmente agravado pela fragmentação e destruição do habitat e pelo aumento do número de cães assilvestrados.
.A perseguição directa movida por pastores e caçadores - caça furtiva com armas de fogo, remoção das crias das tocas, armadilhagem e envenenamento - deve-se à crença generalizada que o lobo ataca o homem e os animais domésticos. A escassez de presas naturais, provocada pela excessiva pressão cinegética sobre os cervídeos e pela destruição do habitat, leva a que, de facto, os lobos por vezes ataquem os animais domésticos. No entanto, em áreas onde as presas naturais abundam, os prejuízos provocados pelo lobo no gado são quase inexistentes. Ao mesmo tempo, pensa-se que presentemente existam centenas de cães abandonados a vaguear pelo país, que competem com o lobo na procura de alimento, sendo provavelmente responsáveis por muitos dos ataques a animais domésticos incorrectamente atribuídos ao lobo. Em relação ao ataque a humanos, existe apenas uma informação comprovada que se refere a um animal com raiva, doença que, felizmente, já há muitos anos se encontra irradicada de Portugal.
 O lobo só sobreviverá se lhe proporcionarmos refúgios adequados e alimentação natural (corço, veado, e javali), e aceitarmos que cause algumas baixas nos rebanhos, sendo os pastores indemnizados, sempre que o ataque seja comprovadamente atribuído ao lobo. A reintrodução de cervídeos - veado e corço - é fundamental para a sobrevivência dos nossos últimos Lobos Ibéricos.
Fonte: Grupo Lobo
Para saber mais sobre o Lobo Ibérico:

Grupo Lobo

Signatus.org (em castelhano)

Lobo Ibérico na Naturlink

Lobo Ibérico na Ecotura

Lobo Ibérico na Carnivora

Associação de Conservação do Habitat do Lobo Ibérico


27.7.08

 

Promover a redução do uso de sacos de plástico é o objectivo previsto numa resolução da Assembleia da República, publicada em Diário da República, no passado dia 23 de Julho, na qual se incentiva o Governo a ir ao encontro deste fim.
A resolução recomenda, desde já e até 2013, campanhas de sensibilização ao consumidor visando a redução e cessação do uso de sacos de plástico de compras convencionais e sua substituição por sacos reutilizáveis, como as tradicionais alcofas, sacos de pano ou troleys.
Para além disso, é proposta a promoção, junto das superfícies comerciais, de estratégias para tornar «mais fácil e apetecível» a utilização de sacos reutilizáveis, designadamente através de um desconto simbólico na factura das compras a quem prescindir de levar sacos convencionais. Para além disso, propõe a obrigatoriedade dos sacos de plástico conterem mensagens alertando para os impactes ambientais e energéticos negativos dos mesmos.
Criar prémios e outros incentivos financeiros e fiscais para a promoção do desenvolvimento de tecnologias de produção de plásticos com recurso a fontes renováveis que envolvam preferencialmente como matéria-prima produtos secundários derivados de agricultura, pesca e indústria, e que tenham como um dos produtos resultantes sacos de plástico biodegradáveis e compostáveis, é outra das medidas propostas.
Por fim, prémios e outros incentivos financeiros ou fiscais para autarquias e outras entidades públicas responsáveis por sistemas de gestão de resíduos sólidos urbanos, para que procedam à progressiva substituição, até 2013, dos sacos de lixo convencionais por outros totalmente biodegradáveis e compostáveis.
 

26.7.08

Parque Natural do Alvão

 

O presidente do Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB), Tito Rosa, defendeu hoje no Algarve que o ecoturismo é “fundamental” para a sustentabilidade económica das áreas protegidas, envolvendo as comunidades locais e promotores.

 

“A vida e a economia” das áreas protegidas deve ser desenvolvida “não pelo Instituto, mas pelas pessoas que lá vivem e pelas empresas que ali podem actuar”, comentou Tito Rosa, no Seminário Internacional "O Ecoturismo na Conservação da Natureza", no âmbito da 3ª Feira Nacional de Parques Naturais e Ambiente, que decorre em Olhão até domingo.

O ICNB quer estabelecer parcerias com entidades que "promovam o investimento e a conservação das áreas protegidas, porque o investimento público não pode fazer tudo".

Para Tito Rosa, não é necessário um "grande investimento", do tipo "resort turístico", sublinhando que "o grande investimento é o somatório dos pequenos investimentos que se coadunam com estas áreas".

O Governo está a trabalhar "em força" na criação, ainda este ano, de "instrumentos legislativos" sobre turismo da Natureza que, explicou, irão permitir "estabilizar os conceitos" e definir "requisitos mínimos para que determinados investimentos ou empresas possam reivindicar que são ecoturismo".
 

Fonte: Ecosfera - Público

 

Sabia que...

 

Agora quando visitar uma área protegida vai paigar uma taxa para ajudar a manter a biodiversidade. Veja mais aqui

 

Pode saber mais sobre as áreas protegidas de Portugal aqui.  


25.7.08

Hoje temos um duplo obrigado ao nosso amigo verde não só pelo destaque do Blog Verde mas também pelo destaque de um blog de um membro da equipa deste blog.

 

Change the Wolrd da Mariana está também em destaque. Parabéns também à Mariana!

 

Pedimos também desculpa a quem costuma ler o verde. O blog tem estado um pouco enferrujado pois há muitos membros que não podem postar.

tags: ,

11.7.08
 
O Governo admitiu que errou ao indicar ao primeiro-ministro que os carros eléctricos iam ser sujeitos a impostos, quando uma lei em vigor prevê a isenção. A correcção surgiu no dia em que a Quercus anunciou que ia pedir esclarecimentos sobre a questão.
 
 
Fonte: TSF

10.7.08

 

O primeiro-ministro, José Sócrates, anunciou hoje que o Governo está a estudar um modelo fiscal para permitir que os futuros carros eléctricos, sem emissões poluentes, possam pagar 30 por cento do actual imposto automóvel.

 

O anúncio de Sócrates foi feito na cerimónia de assinatura de um memorando entre o Governo e a Renault-Nissan para a comercialização em Portugal de um veículo eléctrico a partir de 2011.

"Se um carro eléctrico já existisse actualmente, apenas pagaria 30 por cento do imposto automóvel, já que este imposto tem em 70 por cento uma componente ambiental. O Governo está disponível para criar um quadro fiscal ainda mais atraente", disse.

Além de vantagens ao nível do preço, o chefe do Governo declarou que caberá ao executivo criar uma rede de infra-estruturas que permita ao consumidor abastecer sem dificuldade o seu carro eléctrico.  

 

As negociações entre o Governo e a Renault-Nissan arrancaram em Maio e com este protocolo o objectivo será promover a mobilidade com zero emissões no país.

 

 

Fonte: Ecosfera - Público


Isto do carro eléctrico tem muito que se lhe diga. Não é bem verdade que o carro eléctrico não polui nada. Para se afirmar que o carro eléctrico não polui é preciso também saber se a electricidade para mover o carro não veio de fontes fósseis e poluentes. Porém é verdade que este carro é mais silencioso. E porque não agora também investir em transportes públicos movidos a electricidade?

 

Outra opinião pode-se encontrar no post Mais um "sonho" do blog Menos um Carro e também no blog Ondas3 em Vem aí o carro eléctrico.


ACTUALIZAÇÃO:

11 de Julho - Afinal os carros eléctricos vão estar isentos de impostos.


6.7.08

 

Uma iniciativa do jornal Público que merece certamente uma visita. Este blogue é uma troca de ideias de como ajudar o ambiente onde você também pode participar enviando um e-mail para ecosfera@publico.pt. Para mais informações vá ao blog O que faço pelo ambiente?.

Link do postPor AndréV, às 22:25  Comentar

Os organizadores da Iniciativa Filmes com Energia decidiram alargar o prazo até 21 de Dezembro de 2008, data do Solstício de Verão no Hemisfério Sul. Isto porque até agora todos os filmes apresentados tinham obrigatoriamente de ser filmados em telemóvel. Isto criava um entrave a muitos que não tinham telemóvel com câmara e a outros que têm mas que não é de grande qualidade. Por isso a organização deste evento decidiram que, para além do telemóvel, podem ser usadas câmaras normais para filmar.

 

Se ainda não sabe o que é este concurso vá ao blogue de Filmes com Energia! e encontre todas as informações que necessita.


27.5.08

 

O Parque Natural do Alvão é uma área protegida de Portugal que possui reduzidas dimensões e situada entre os concelhos de Mondim de Basto e Vila Real. Foi criado em 1983.

A principal curiosidade geológica é a queda de água conhecida como as "Fisgas de Ermelo".

A fauna característica é:

  • Águia-real (praticamente extinta);
  • Lobo-ibérico (Canis lupus signatus);
  • Gato-bravo
  • Toupeira-de-água
  • Falcão-peregrino

É uma serra de grande beleza. Vale mesmo a pena uma visita se for do Norte, ou até mesmo do Sul. É uma óptima alternativa à Serra da Estrela no Inverno se quiser apenas disfrutar da neve por algumas horas. Aproveite depois para dar um salto a Mondim de Basto e o imponente monte Farinha ou, popularmente chamado, Sr.ª da Graça. Se quiser fique alojado no Aqua Hotel de Mondim de Basto ****, que possui belíssimas vistas para o rio Tâmega. Uma visita extremamente relaxante.

 


26.5.08

 A associação ambientalista Quercus classificou hoje como uma desilusão a meta traçada pelos países mais industrializados do mundo de reduzirem as emissões poluentes para metade até 2050, considerando que o importante era ter definido uma meta para 2020.

 

"A meta para 2050 deveria estar entre os 60 e os 80 por cento de redução de emissões de gases com efeito de estufa relativamente aos valores de 1990. Cinquenta por cento de redução fica aquém das expectativas", comentou à agência Lusa Francisco Ferreira, dirigente da Quercus.

Fonte: Agência Lusa 

 

Link do postPor AndréV, às 10:41  Comentar


Olá a todos! Aqui está um novo blog "verde" por sinal, aqui ficarão registados pequenos apontamentos acerca do nosso mundo natural, ecologia, ambiente, entre outros... O objectivo? Aprendermos todos um pouco mais. Esperemos que gostem!
Pesquisar no Verde
 
Maio 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Semana no Verde

2ª feira - Fauna & Flora
ver
3ª - Locais Verdes
ver
4ª - Conselhos Verdes
ver
5ª feira - Imagem Verde da Semana
ver
6ª feira - Blog/Associação Verde da Semana
ver
Contactar o Verde
Se tiver algo a dizer sobre o Verde, não hesite em contactar-lo. A sua opinião será sempre útil e bem vinda. Os contactos são: daniela_urbano1@hotmail.com andre.f.veiga@gmail.com
Comentários Recentes
Acabei de avistar uma Poupa, ave de extrema beleza...
o mundo precisa dessa ação!Temos que ter mais aten...
Além das propriedades medicinais, também é comestí...
Posts mais Comentados
55 Comentários
28 Comentários
subscrever feeds
blogs SAPO