Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Blog Verde

O Blog Verde

Contactar o Verde

Se tiver algo a dizer sobre o Verde, não hesite em contactar-lo. A sua opinião será sempre útil e bem vinda. Os contactos são: daniela_urbano1@hotmail.com andre.f.veiga@gmail.com

Ao que parece a população chinesa está descontente com a degradação ambiental do país, isto  à medida que o país se desenvolve e consequentemente as suas emissões poluentes aumentam, ainda há pouco se leu, inclusivé aqui no verde que a China já era o maior emissor de CO2 do mundo.
Com o aumento da qualidade de vida no país começa a haver por parte dos chineses uma maior abertura e preocupação para com o ambiente, o que motivou protestos e uma maior afluência de petições ao ministério do Ambiente chinês.
No entanto ao que parece estes esforços por parte da população estão a surtir resultados oficiais do governo já afirmaram que este ano se procederia à limpeza de lagos e rios chineses.

Esperemos que o dito seja cumprido, e que a população chinesa (1/4 da população do mundo) se mantenha atenta e activa na causa ambiente.

Hoje estou aqui para vos deixar um pedido de desculpas. E porquê? Simples, a regularidade com que usualmente postamos até aqui vai diminuir suponho que drasticamente... nos últimos 2 dias já se notou ligeiramente. A Daniela vai trabalhar a partir de amanhã e portanto terá menos tempo para pesquisar e organizar a informação para pôr no verde. Quanto a mim ainda me falta uma etapa até ficar de férias, que ainda por cima serão curtas e portanto também vou dispor de menos tempo para dedicar ao Verde. Mas a todos os que por cá passam não deixem de visitar e de vir espreitar de vez em quando, pode ser que as provisões contrariem o que acontecerá.

Obrigado a todos pela compreensão.
07 Jul, 2007

Panda Gigante

Vo apenas deixar alguma informaçao e tambem algumas imagens  de um animal que se encontra em vias de extinçao - o Panda  Gigante.

Considerado um raro “fóssil vivo”, o urso panda gigante, nativo da  China, chamado pelos chineses de shumao (urso-gato), é uma  das mais primitivas espécies animais do mundo. Actualmente,  existem apenas cerca de mil pandas em todo o mundo.

O panda gigante é um hóspede muito raro nos zoológicos do  mundo. Dos poucos exemplares em exposição, alguns morrem,  outros recusam-se a acasalar, e os que acasalam não tem muita  sorte com a cria, que muitas vezes acaba por morrer.

Nos zoológicos da China, terra natal dos pandas gigantes, a  reprodução em cativeiro é mais bem-sucedida, ali vivem algumas  dezenas desses animais.

O panda-gigante é o símbulo da WWF (World Wildlife Fund - Fundo Mundial para a Vida Selvagem), uma das mais activas e importantes associações protetoras dos animais. A escolha não foi apenas motivada pela ameaça de extinção que paira sobre o panda gigante, mas tambem pela sua simpatia. O aspécto de boneco de peluche e a maneira desengonçada de se movimentar fazem do panda gigante o favorito dos zoológicos.

Uma vez que é um animal essencialmente vegetariano, alimenta-se sobretudo de caules, folhas e brotos de Bambu, sendo este o seu alimento favorito.

Como é um animal de porte razoável (pode pesar mais de 150 kilos), e o valor nutritivo do bambu é relativamente baixo, o panda gigante precisa de comer entre 15 a 20 kilos de Bambu por dia.

 

          


Cientistas dos EUA criam biocombustível de frutas

O açúcar encontrado em frutas como maçãs e laranjas pode ser convertido em um novo tipo de combustível com emissão reduzida de dióxido de carbono para os carros, de acordo com cientistas americanos.


O combustível, feito a partir de frutose, tem várias vantagens sobre o etanol, segundo artigo dos pesquisadores na revista Nature.

Cientistas da Universidade de Wisconsin-Madison dizem que a frutose pode ser convertida em um combustível chamado dimetilfurano, que pode armazenar 40% mais energia do que o etanol, não evapora tão facilmente e é menos volátil.


Os cientistas dizem que a frutose pode ser obtida diretamente de frutas e plantas ou obtido a partir da glicose. Mas, segundo os cientistas, ainda seriam necessárias mais pesquisas para verificar o impacto ambiental deste novo combustível.


Biodiesel

Um outro relatório sobre biocombustíveis feito na Grã-Bretanha disse que já existe tecnologia para criar biodiesel não apenas de azeite de dendê, mas também de uma gama de materiais, inclusive madeira, ervas e sacos plásticos.

Especialistas dizem que dentro de seis anos até 30% da demanda por diesel no país pode vir dessa fonte.

Jeremy Tomkinson, do National Non-Food Crops Centre da Grã-Bretanha (Centro Nacional para Colheitas Não-Alimentícias da Grã-Bretanha, em tradução livre), disse que esta próxima geração de biocombustíveis pode atender a outras necessidades, além de movimentar veículos.

“Imagine se componentes químicos industriais ou o combustível de aviões também vierem dessas fontes…Há um grande potencial”, disse ele.

O maior problema neste processo é o custo.

Estima-se que novas instalações para a produção deste tipo de combustível custem até dez vezes mais do que as atcuais refinarias de biodiesel.

Tanto na União Europeia quanto nos Estados Unidos, políticos defendem o uso de biocombustíveis para reduzir emissões de dióxido de carbono e a dependência da importação de petróleo.

Mas críticos dizem que os actuais biocombustíveis - tanto diesel feito de azeite de dendê quanto etanol feito de milho e cana-de-açúcar - encorajam os agricultores a optarem por estas culturas para produzir combustíveis.

O processo já estaria levando a um aumento no custo dos alimentos, alegam.


Fonte: Revista do meio ambiente

 

 

 



Bem como resultados obtivemos o esperado mais de metade das pessoas que responderam à nossa pergunta desta semana não fazia ideia desta notícia. mas o verde está cá para vos informar, e para vos alertar para as coisas boas, como esta, e para as coisas más, para que possam tomar uma atitude.

Muito obrigado a todos as 57 pessoas que participaram e não se esqueçam de espreitar a pergunta desta semana.






 
O degelo nas regiões polares (Antárctida, no Sul, e Ártico, no Norte) é um fenómeno cada vez mais evidente e preocupante. As consequências serão devastadoras e, segundo os cientistas, far-se-ão sentir em todo Mundo. Os gelos glaciares estão a desaparecer por acção do aquecimento global.


Os relatórios sobre o impacto do aquecimento global nestas regiões são alarmantes. Investigadores de mais de 200 países apresentaram, em 2004, um estudo exaustivo sobre as alterações climáticas verificadas no Ártico, alertando para a extinção de várias espécies como os ursos polares ou as focas árcticas até ao final de 2100. Mas não é só a vida animal que sofrerá com este fenómeno. Os países mais próximos das regiões polares, como a Gronelândia, a Islândia, a Suécia, a Finlândia ou a Rússia, têm de começar já a preparar o futuro de forma a atenuarem os efeitos.


Os investigadores prevêem que mais de quatro milhões de pessoas serão afectadas pelo degelo dos glaciares polares. As investigações apontam para que se registe uma subida na temperatura média anual na ordem dos sete graus centígrados, podendo deixar de existir valores negativos nessas regiões. Entre 1954 e 2003 as temperaturas oscilavam entre os -3 e os 4 graus centígrados. As previsões estimam agora valores entre os 0 e os 12 graus.

Se as alterações introduzidas no ambiente são negativas, o impacto na economia e na vida das populações não será melhor. Teme-se, por exemplo, que a Rússia e o Canadá venham a sofrer derrocadas de edifícios devido ao degelo das camadas existentes no subsolo. Na Sibéria já é possível ver-se as consequências dessa fusão em algumas construções.

 

 
Imagens recentes da NASA mostram que são cada vez mais os pedaços de gelo à deriva no oceano. Na Antárctida, a agência espacial norte-americana identificou, em 2002, um bloco de gelo com cerca de 85 quilómetros de diâmetro. Três anos mais tarde, no Canadá, a NASA registou um iceberg com cerca de 50 quilómetros. Os cientistas temem que este fenómeno venha a ser cada vez mais frequente.

Uma das personalidades mais activa na sensibilização da Humanidade para os problemas do aquecimento global é Al Gore. O ex-vice presidente dos Estados Unidos afirma mesmo que: “Se parte da Gronelândia derreter o efeito sobre Manhattan será pior do que os ataques de 11 de Setembro”.

fonte:
Correio da Manhã

O Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB) e a cimenteira Secil assinaram um memorando de entendimento para a realização de estudos científicos que permitam estabelecer um referencial para a manutenção e desenvolvimento da biodiversidade.


O memorando, assinado por ocasião da Semana de Portas Abertas da Secil, surge na sequência do compromisso assumido com a União Europeia no âmbito da iniciativa Business & Biodiversity (negócios e biodiversidade), que visa estabelecer parcerias para integrar as preocupações com a conservação da fauna e da flora na gestão das empresas, contribuindo para o objectivo europeu de travar a perda de biodiversidade até 2010.

No documento, assinado pelo presidente da comissão executiva da Secil, Carlos Alves, e pelo presidente do ICNB, João Menezes, a empresa cimenteira compromete-se a desenvolver estudos científicos da fauna e da flora e outras acções de conservação que contribuam para parar a perda de biodiversidade, que se traduz no desaparecimento de mais de 150 espécies por dia.


 

in Ecosfera - Público


 



Uma boa iniciativa, também já avançada pela EDP, acho que é sem dúvida este o caminho que as empresas devem tomar, estudar para minimizar os efeitos. Esperemos que os estudos se traduzam em resultados.





A Ecopilhas, Sociedade Gestora de Resíduos de Pilhas e Acumuladores, é uma empresa sem fins lucrativos constituída pelos principais Produtores e Importadores de Pilhas e Acumuladores que operam no mercado português, é a principal responsável por este sucesso.


Segundo a Ecopilhas , o nosso país encontra-se no sexto lugar, relativamente aos países da Europa que fazem a recolha de pilhas.

Em 2006, os portugueses entregaram 17 milhões de pilhas para a reciclagem, uma quantidade semelhante à que foi entregue em 2005.


Desde o seu início, a Ecopilhas já recolheu e enviou 41 milhões de pilhas para a empresa Fernwarme Wien , na Áustria, onde são recicladas.


Cada cidadão tem um papel muito importante no sucesso de todo sistema ao depositar as suas pilhas usadas nos locais disponíveis para a recolha selectiva, que incluem Ecopontos, Ecocentros, hiper e supermercados.

Aqui podem ainda consultar os resultados publicados pela Ecopilhas referente à Recolha e Reciclagem.

04 Jul, 2007

Pegada ecológica

Cada um de nós tem uma pegada ecológica, e o que significa isso?
Simples, é uma estimativa dos hectares que precisamos para que sejam produzidos os recursos para o nosso dia-a-dia. Ou seja basicamente avalia o nosso impacto no planeta terra.

Neste link que me chegou por mail, (via estudante de Engenharia do Ambiente, a Ana) podem fazer o teste e verem no fim qual é a vossa pegada ecológica.

É bastante interessante aconselho vivamente a que o façam e que no fim tirem as vossas próprias conclusões. E se possível partilhem-nas com o Verde.

Obrigado.

http://www.myfootprint.org/


03 Jul, 2007

AGROBIO

Para variar um bocadinho o assunto dos posts do verde, decidi "apresentar-vos" uma associação que "apoia" a agricultura biológica. Não sei até que ponto este assunto é interessante e motiva os leitores do verde à sua leitura..de qualquer forma espero que gostem!


 

A associação que escolhi foi a AGROBIO, mas como esta há muitas outras (..e ainda bem)!


Fundada em 1985, a AGROBIO dedica-se à defesa e ao desenvolvimento da Agricultura Biológica em Portugal.

Reunindo cerca de 4 000 associados, entre consumidores, agricultores e comerciantes, repartidos pelos mais diversos grupos etários e com as profissões mais variadas, esta associação tem ganho uma merecida reputação, tanto no seio das entidades oficiais como no público em geral.


O símbolo da joaninha, sua imagem de marca, já se tornou familiar para uma boa parte dos consumidores como sinónimo de produto de qualidade, sem pesticidas e amigo do ambiente.

A AGROBIO é também membro da IFOAM (Federação Internacional de Movimentos de Agricultura Biológica) desde a data da sua fundação.



Podem ainda visitar o site 
desta associação de forma a obterem mais informação acerca deste assunto!

Foi lançado ao Verde um daqueles desafios onde é suposto dizermos algo sobre os autores, este foi-nos proposto pelo blog Pensamentos de José Cunha.

Como sabem o Verde neste momento tem duas autoras, portanto achamos lógico dividir as 8 coisas sobre mim pelas duas.

Marta Santos

1- Sou estudante em Engenharia Biológica no IST

2- Sou uma pessoa preguiçosa e que adora dormir

3- O ambiente é uma temática que domina muitos dos meus pensamentos e pesquisas cyber-náuticas

4- Tenho um carinho muito especial, por qualquer um dos meus blogs.


Daniela Urbano

1. estudante, ainda no 11º ano e, como gosto de biologia, gostava de tirar um curso nesta área.

2. gosto de blogs, fotografia, biologia, animais, musica, internet, ler, desenhar, ...(e de muitas outras coisas!)

3. sou uma "sonhadora", às vezes até demais!

4. não gosto de falar de mim, mas posso dizer que sou uma pessoa "estranha", mas (mais ou menos) normal!!



Semana no Verde


2ª feira - Fauna & Flora
ver
3ª - Locais Verdes
ver
4ª - Conselhos Verdes
ver
5ª feira - Imagem Verde da Semana
ver
6ª feira - Blog/Associação Verde da Semana
ver