Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Blog Verde

O Blog Verde

Contactar o Verde

Se tiver algo a dizer sobre o Verde, não hesite em contactar-lo. A sua opinião será sempre útil e bem vinda. Os contactos são: daniela_urbano1@hotmail.com andre.f.veiga@gmail.com

É Verão e como tal é férias vão os tugas todos para a praia na hora de escolher a praia onde vão passem por aqui http://snirh.pt/ onde podem saber mais sobre a qualidade das águas das praias que vão frequentar, todas, desde as fluviais às praias costeiras de norte a sul do país e ainda nas regiões autónomas.

Assim poderão desfrutar ainda melhor de um excelente dia de praia.

Divirtam-se e sejam Verdes



O FAPAS é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, constituída em 1990 por pessoas com longa experiência no domínio da conservação da Natureza, vocacionada para a promoção de acções que visam a protecção e recuperação da fauna e flora selvagens.
Agindo sempre de forma livre e independente, o FAPAS é financiado com as quotas dos seus sócios, com patrocínios de diversas entidades para campanhas específicas, e com verbas comunitárias para o desenvolvimento de Projectos. Conta ainda com o apoio técnico de biólogos e advogados, para suporte científico e legal das suas acções.
Mantém contactos internacionais com associações congéneres, nomeadamente espanholas. Neste momento é ainda membro da IUCN - The World Conservation Union e do BEE - Bureau Européen de L'Énvironnement, assim como do CIDN - Conselho Ibérico para a Defesa da Natureza.

Desde a sua fundação, o FAPAS desenvolveu inúmeras iniciativas, que podem agrupar-se em duas grandes vertententes:


Acompanhamento de situações que constituem ameaças para a preservação da vida selvagem

Acções concretas, vocacionadas para a defesa e recuperação de habitats naturais e de espécies vegetais e animais, e contando ainda com uma forte vertente de sensibilização para os problemas ambientais. Nos anos de existência do FAPAS em Portugal, destacamos as seguintes acções empreendidas.

A acção que o Fapas tem desenvolvido permitiu obter terrenos onde se previligia a Conservação da Natureza. Assim, tem a propriedade de uma área inserida no PNPGerês, onde a floresta autóctone se tem desenvolvido, bem como a co-propriedade, em conjunto com a Quercus, de uma Microreserva Botânica (Chãos), no Sítio Natura 2000 Sicó-Alvaiázere, específica para a protecção de 5 espécies de orquídeas e outras plantas.

SEDE:

Fapas - Fundo para a Protecção dos Animais Selvagens
Rua Alexandre Herculano, 371 4º dto - 4000-055 Porto - Portugal
Telefone: 222 002 472 Fax: 222 087 455
E-mail: fapas@mail.esoterica.pt

DELEGAÇÕES:

Delegação do Alentejo
Delegação de Lisboa
Delegação de Monfortinho
Delegação de Torres Novas
Delegação de Viana do Castelo

podem sempre consultar o site oficial da organização em  www.fapas.pt



Tewkesbury, na região centro de Inglaterra, é apenas uma das localidades afectadas pelas piores inundações no país nos últimos 60 anos. Prevê-se que milhares de pessoas fiquem sem electricidade, numa altura em que o Exército continua a transportar os habitantes para zonas mais seguras.




Um pouco do que se passa no mundo... Continua a haver quem não acredite que há mão do homem nisto, mas sinceramente, acho que só não vê quem não quer ver...

Portugal é dos países da União Europeia onde menos se utiliza a bicicleta como principal meio de transporte, com apenas um por cento dos portugueses a pedalar no dia-a-dia, revela um inquérito do Eurobarómetro sobre mobilidade divulgado hoje pela Comissão Europeia.



Sinceramente não me espanta, com a falta de ciclovias que há por esse país fora e com  a falta de cuidado que os portugueses apresentam a volante mesmo dentro de localidades... Acho que qualquer pessoa se desencoraja ao olhar para uma bicicleta para ir para o emprego, por exemplo. Este é um dos campos onde ainda há muito mas mesmo muito a fazer.... Esperemos que o estudo chegue ás orelhas de quem manda...



Cada vez mais temos electrodomésticos que estão sempre acessíveis e prontos a ser usados a partir de um comando. Mas para que isso seja possível é necessário que os aparelhos tenham um consumo mínimo de energia que lhes permita activarem as suas funções quase imediatamente, o que acarreta um consumo constante de energia - o chamado consumo Stand-by.

O Stand-by é o estado em que o aparelho fica quando não está a ser usado. O exemplo mais reconhecido de consumo em Stand-by é a luz que fica acesa num aparelho quando este é desligado no comando, que nos aparelhos recentes representa um consumo mais baixo do que se estiver a ser utilizado, mas nos aparelhos antigos consome praticamente a mesma energia do que se estivesse a ser usado. Outros bons exemplos de consumo Stand-by são os verificados nos vídeos, DVDs e aparelhagens que quando não estão a ser usados estão a consumir energia na mesma, pois têm relógios a funcionar.

Vale a pena lembrar que alguns aparelhos consomem energia mesmo estando desligados e para que eles não consumam nada é necessário que sejam desligados da tomada. Por exemplo, alguns monitores ligados consomem 90W, em Stand-by (espera) consomem 15w e desligados consomem 5W.

É aconselhável que se desligue todo equipamento das tomadas, ou em alternativa ligar os aparelhos a uma tomada eléctrica com interruptor (power-strip), que consome 1 a 3 W, mas que é preferível ao consumo total dos aparelhos que se ligarem a estas tomadas, que pode atingir os 75 W. Assim evita-se o consumo desnecessário de energia, e também se previne uma eventual sobrecarga que pode acontecer quando a energia volta após uma falta de energia.

Este consumo deve ser evitado em períodos de férias e/ou quando não se utilizam os equipamentos (em casas de férias ou de fim de semana).

Estima-se que o consumo anual médio em Stand-by para cada lar Português seja de 377 kWh/ano, o que corresponde a uma despesa de 37,25 €.

Apresentam-se em seguida alguns exemplos de consumo em Stand-by de alguns aparelhos:



Fonte de informação: ecocasa





Esta semana cerca de 50 pessoas responderam à pergunta colocada das quais cerca de 20 confessaram nunca ou raramente desligarem completamente os aparelhos, no entanto nem tudo é mau, 12 pessoas afirmam desligar sempre os aparelhos, neste caso concreto a televisão, estes resultados mostram-nos que já há alguma sensibilização para a causa gastos de energia, no entanto ainda há bastantes arrestas a limar.

Obrigado a todos os que participaram e já aí está uma nova pergunta para responder

Semana no Verde


2ª feira - Fauna & Flora
ver
3ª - Locais Verdes
ver
4ª - Conselhos Verdes
ver
5ª feira - Imagem Verde da Semana
ver
6ª feira - Blog/Associação Verde da Semana
ver