Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Blog Verde

O Blog Verde

Contactar o Verde

Se tiver algo a dizer sobre o Verde, não hesite em contactar-lo. A sua opinião será sempre útil e bem vinda. Os contactos são: daniela_urbano1@hotmail.com andre.f.veiga@gmail.com





O que anda nas bocas do mundo, o novo Aeroporto... onde é, onde não é.

O Verde aproveita a deixa para deixar também a sua prematura opinião.

Aquando a pesquisa constatou-se que relativamente à alternativa Alcochete não há qualquer estudo feito relativamente ao possível impacto do aeroporto. Apenas conseguimos reunir uma opinião da Quercus, que diz:

"Alcochete é uma solução praticamente inviável"

Ora isto devido aos problemas de ordenamento de território que há na margem sul, a proximidae das reservas naturais do Estuário do Tejo e do Estuário do Sado. Agregado ao facto de Alcochete ser sede do Parque Natural do Estuário do Tejo. Possui várias salinas ainda activas e onde nidifica uma importante colónia de flamingo.


Relativamente a Ota, através da Alambi, Associação para o Estudo e Defesa do Ambiente no Conselho de Alenquer, também a Ota encerra graves problemas ambientais:
Ocupação de áreas de Aluviões e leito de cheias, a movimentação de terras, a lezíria, e também o rdenamento do território.

No entanto há que considerar que a alternativa Ota já foi extensivamente estudada.

Há que considerar que pnde quer que se construa um novo aeroporto os impactos ambientais serão sempre muito intensos, levam à interrupção de corredores eccológicos, destruição de habitats, ...

No entanto há que considerar que talvez seja mesmo necessário a construção de um novo aeroporto.

O Verde prefere não deixar uma conclusão cefinitiva acerca do loval de construção do aeroporto. Deixará ao critério dos leitores decidir por si, até porque foram apenas considerados uma pequena parte de aspectos, exclusivamente ambientais.

Deixamos também locais onde podem obter mais informações, relativamente a Ota:

http://www.naer.pt/portal/page/portal/NAER/Estudos/?CTES=18064&actualmenu=6153&cboui=18064

http://www.alambi.net/pdfcomunicados/Quercus_Alambi_NAL.pdf




Aqui ficam os conselhos para que a imagem se cumpra


1. Só deite Lixo no Lugar Certo


O lixo que deitaos em qualquer lugar volta para nossa casa através de ratos, moscas, mosquitos que trazem doenças, além de tornar onde vivemos um lugar feio e desagradável. Cada pessoa produz por dia cerca de meio quilo de lixo. Multiplique isso pela população de sua cidade para ter ideia do tamanho do problema. Custa muito dinheiro de impostos para limpar as ruas, praças, praias, dar destino final ao lixo. Dinheiro que podia estar a ser usado para outras obras e serviços para  melhorar a cidade. A cidade, a escola, a casa mais limpa não é a que mais se varre, é a que menos se suja! Um Amigo do Planeta só deita lixo nos locais apropriados, ou guarda no bolso e traz para colocar na lixeira ou reciclagem da própria casa.

2. Poupe Água e Energia

A água não sai da parede. Ela vem de rios e mananciais que estão sendo agredidos pela poluição e pela desflorestação, o que torna a água potável cada vez menos disponível, e eleva seu custo de tratamento. A energia também não sai da parede. Para ser gerada é preciso afogar rios e terras férteis, deslocar populações, ou usar recursos não renováveis como petróleo e carvão ou criar riscos e lixo perigoso como o nuclear

3. Não Desperdice

Escolha consumir o necessário. Resista ao modismo que nos obriga a trocar de carro, roupa, bens. Além de gastar dinheiro desnecessariamente, desperdiçamos recursos naturais, poluímos o Planeta. Diga não a produtos supérfluos ou feitos para durar pouco; ou que gastem muita energia ou água; ou que contaminem o meio ambiente; ou descartáveis cujas embalagens não retornam aos fabricantes. Escolha usar sacos de pano e caixas para suas compras. Evite os sacos de plástico. Escolha alimentos e produtos naturais e evite os industrializados

4. Cuide dos Animais e Plantas


Os animais – assim como as plantas (“A Vida Secreta das Plantas”) - sentem dor, têm emoções, sofrem. Eles tem tanto direito à vida, à liberdade, ao bem estar quanto nós. Seja responsável com os animais e as plantas sob sua responsabilidade. Não deixe que sofram desnecessariamente, cuide para que tenham água, alimento, conforto. Recuse a se divertir em rodeios e circos com a dor e o sofrimento dos animais. Recuse produtos e alimentos que não respeitam a dor e o sofrimentos dos animais. Empreste sua voz às plantas e animais que sofrem por que eles não tem como se defender.

5. Cuide das Árvores

Ajude a defender as árvores e florestas existentes. Denuncie as agressões. Plante novas árvores e cuide delas com carinho e respeito. Recuse comprar madeiras e móveis que não comprove a origem ecologicamente correta e legal. Utilize os dois lados da folha de papel. Faça recolha seletiva em sua casa e encaminhe o papel para reciclagem.

6. Não Polua

Use o menos possível o automóvel, programando suas saídas. Ele provoca poluição do ar, gasta combustível, agrava o efeito estufa, engarrafa o trânsito. Acostume-se a ouvir música sem aumentar muito o volume do som. Som alto provoca poluição sonora. Reveja seu comportamento, suas atitudes em casa, no trabalho, na comunidade e mude o que estiver provocando poluição ou degradação ambiental. Não espere que alguém venha fazer isso por você. Faça você mesmo.

7. Recolha seletiva de lixo

Lixo não existe. O que chamamos de lixo é matéria prima e recursos naturais misturados e fora do lugar. A reciclagem devolve estes recursos para fabricar novos produtos retirando menos da natureza, além de economizar mais água e energia, e aumentar a vida útil dos aterros sanitários. Mantenha dois contentores na sua cozinha, um para o MATERIAL SECO (inorgânico: papel, plástico, metal, vidro) e outro para MATERIAL ‘MOLHADO’ (orgânico: restos de comida, cascas de frutas etc.). Acumule o material seco num contentor maior e regularmente encaminhe à reciclagem. Se não houver recolha de lixo seletivo na sua comunidade encaminhe um abaixo-assinado às autoridades. Enquanto isso, procure doar seu material para quem faz reciclagem O material ‘húmido’ pode virar adubo e servir para alimentar animais. Cultive uma horta mesmo que em vasos e caixas e faça uma composteira mesmo que pequena, numa caixa.


8. Conheça e conviva com a natureza

Mantenha o contato com a natureza. Faça passeios na floresta, vá à praia, contemple o por-de-sol, a lua cheia. Coloque os pés no chão. Cultive uma horta, um jardim. Estude e leia mais sobre a natureza, mesmo que não seja tarefa da escola. Quanto mais você souber, melhor poderá agir em sua defesa. Procure no dicionário palavras como saúde do trabalhador, reciclagem, reaproveitamento, habitat, biodegradáveis etc. Faça um álbum de recortes com figuras de animais e plantas (em papel reciclado claro).

9. A natureza não vota e nem se defende. Faça você por ela!


Mesmo sozinho você pode denunciar as agressões ambientais. Escreva às autoridades,  às autoridades, aos políticos, à imprensa. Participe de campanhas pela internet ou pessoalmente. Na hora de votar, escolha representantes comprometidos com a causa ambiental e acompanhe o mandato. Escreva-lhe com sugestões e críticas que melhore a actuação na defesa do meio ambiente. Participe de atividades voluntárias e de alguma organização da sociedade civil sem fins lucrativos em sua comunidade.

10. Crie um clube de amigos do planeta na escola, ou associação!

A escola ou associação de moradores pode oferecer aos alunos e cidadãos a possibilidade de atuarem de forma organizada, assumindo, no mínimo, UMA AcÇÃO CONCRETA POR MÊS PARA A MELHORIA AMBIENTAL DA COMUNIDADE como plantar e cuidar das novas árvores, fazer recolhas de sementes e produzir novas mudas, denunciar agressões ambientais, ajudar a implantar a coleta seletiva de lixo na escola, etc. Faça um PLANEAMENTO COOPERATIVO envolvendo a todos para que tomem conhecimento da situação, proponham substituições de materiais e comportamentos, estabelecem metas quantitativas e períodos de tempo para promover as mudanças pretendidas.




Acho que traduz claramente a mensagem do verde, quanto ao albúm de recortes, poupe papel, nós fazemo-lo por si. sem qualquer mazela para o meio ambiente.

Fonte de informação: www.jornaldomeioambiente.com.br
12 Jun, 2007

Nova morada

Olá caros leitores.

Pois é o Verde mudou de morada, neste momento ainda se encontra em fase de transicção com amnas as páginas no ar.

Após uma secção de esclarecimento acerca de blogs as autoras foram unânimes  ao decidir qual a nova morada do Verde.

Será aqui que continuaremos o nosso precoce trabalho sempre com o íntuito de aprender e dar a conhecer mais e mais acerca do nosso ambiente.

Cumprimentos Verdes

*
11 Jun, 2007

Poupar papel - I



Olá,

hoje vou-vos deixar um pequeno conselho, principalmente para os estudantes, que já todos sabemos mas nunca fazemos.

Eu própria, muitas vezes não o faço.



Poupar Papel!!!

Como??

Simples...

Usar as costas das folhas!!!


- Quando imprimem documentos imprimam somente páginas impares virem ao contrário e imprimam somente páginas pares.
É tão simples quanto isto, não custa nada, sai-vos mais barato e andam com muito menos peso.

- Escrevam nas costas das folhas, apontamentos, exercícios, o que seja. Vão ver que até se torna mais simples de organizar os vossos apontamentos.

E é claro, usem sempre que possivel papel reciclado.



Sejam "Verdes"
05 Jun, 2007

QuercusTV

.

O ambiente é uma das maiores preocupações dos dias de hoje.
Há pequenas acções que podemos fazer no dia-a-dia, e contribuir para uma melhoria do meio ambiente: separar os resíduos em casa, ter atenção às compras no supermercado, utilizar transportes públicos, reduzir o consumo de água, consumir produtos provenientes da agricultura biológica, etc…

Com o objectivo de informar e auxiliar os cidadãos, hoje, Dia Mundial do Ambiente, a Quercus lança um local na Internet, a QuercusTV onde serão divulgados vídeos relacionados com a temática do ambiente.
Neste momento, a QuercusTV conta já com vídeos das suas actividades, conselhos do "Minuto Verde" e vídeos de outras organizações de ambiente.
Brevemente, com a colaboração dos cidadãos e das várias estruturas da Quercus, este site terá uma maior dinâmica e passará a incluir mais vídeos, nomeadamente das actividades que esta Associação desenvolve.

.


É já amanhã, dia 5 de Junho que se comemora o dia mundial do Ambiente.

Por todo o país se promovem acções, na sua maioria discretas, de defesa do Ambiente.

Vou tentar deixar aqui uma micro agenda, no entanto a todos aqueles que não conseguirem estar presentes, sejam o mais Verdes possiveis.

Atenção aos gastos de água, energia, consumiveis,
andem de transportes públicos,
não poluam
(vocês sabem é só preciso fazer um esforço)

Lisboa - Praça da Figueira

A partir das 9h o “Planeta Condomínio” (um planeta insuflável de grandes dimensões), ocorrendo em paralelo várias actividades de divulgação deste projecto inovador junto dos cidadãos, nomeadamente a distribuição simbólica de partes comuns do Planeta. A acção “Condomínio da Terra” terá o envolvimento do Canal Odisseia que estará no local com uma brigada a recolher sacos de plástico em troca de sacos de papel, que serão depois encaminhados para reciclagem.
(organização Quercus)

Braga e Guarda

ECOTOUR 2007, que termina agora no Dia Mundial do Ambiente com acções em Guarda (conferência no auditório do Paço da Cultura às 14:30) e Braga (conferência na biblioteca Lúcio Craveiro da Silva às 21:30). No âmbito do ECOTOUR 2007 uma equipa composta por dois elementos teve como missão desenvolver diversas sessões de esclarecimento e sensibilização ambiental sobre os temas da Eficiência Energética, Energias Renováveis e Mobilidade Sustentável.
(organização Quercus)


Açores

A Secretaria Regional do Ambiente e do Mar assinala, terça-feira, o Dia Mundial do Ambiente, com um vasto conjunto de actividades alargado a várias ilhas e cujo programa inclui um passeio à erupção histórica dos Mistérios Negros e Pico do Fogo, com subida à Rocha do Chambre, na Terceira.

O passeio, promovido pela Ecoteca da Terceira e pela associação espeleológica "Os Montanheiros", pretende envolver os participantes numa troca de impressões sobre temáticas como a biomonitorização da qualidade ambiental e património natural, enquanto recurso para fins sociais.


Associando-se às iniciativas de celebração do Dia Nacional do Ambiente, os Serviços de Ambiente e a Ecoteca de Santa Maria procedem, pelas 10 horas, à distribuição das árvores candidatas ao projecto "Tree-Parade", no Centro de Vila do Porto, realizando-se à mesma hora, inquéritos sobre a "Pegada Ecológica" nas principais ruas locais.

Pelas 20:30 horas é inaugurada a exposição de fotografia intitulada "Um Olhar Ambiental sobre Santa Maria", seguindo-se, pelas 20:45 horas, a acção de divulgação "Águas e Resíduos – Gestão da ETAR de Vila do Porto" e a palestra "Solicitações Integradas de Gestão de Resíduos", a realizar no Clube Naval daquela ilha, tendo como orador Marco Lopes.

....
ver mais



Setúbal

“Sabe que hoje é o Dia Mundial do Ambiente? Realiza a separação selectiva na sua habitação? Como classifica a qualidade de água para consumo na sua área de residência?” Estas são apenas algumas das questões que os alunos da ESTSetúbal/IPS vão colocar à população local, no dia 5 de Junho de 2007 (Terça-feira), na Baixa de Setúbal, no âmbito do Dia Mundial do Ambiente.


Bem estas são apenas algumas das iniciativas... Haverá mais nas cidades espalhadas pelo país.


Amanahã mais que nunca sejam verdes.
02 Jun, 2007

Quercus

Hoje vou-vos introduzir um novo marcador, no "Verde".

"Amigos Verdes"

Que pretende dar a conhecer organizações ambientais, entre outras.

Para começar nada melhor do que a Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza.
A Quercus é umaorganizaçãoão governamental portuguesa, foi fundada em 31 de Outubrode 1985.

É uma associação portuguesa, independente, apartidária, de âmbito nacional, sem fins lucrativos e constituída por cidadãos que se juntaram em torno do mesmo interesse pela Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais e na Defesa do Ambiente em geral, numa perspectiva de desenvolvimento sustentado.

O nome Quercus provém do nome da família de árvores que são características dos ecossistemas florestais do país.

Desde a sua fundação, a Quercus tem vindo a ocupar na sociedade portuguesa um lugar, simultaneamente irreverente e construtivo, da defesa das múltiplas causas da natureza e do ambiente.

Este estatuto foi progressivamente conquistado através de uma conduta atenta ao real, sem perder o ponto de referência fundamental dos princípios, nem se afastar das necessidades de complementar a denúncia crítica com o esforço para a construção de consensos na sociedade portuguesa, sem os quais nenhum efectivo modelo de desenvolvimento sustentável será possível no país.

Uma das características da Quercus é a sua descentralização. De facto, existem Núcleos regionais da Quercus espalhados um pouco por todo o país, incluindo as regiões autónomas dos Açores e da Madeira.

Em 1992, a Associação recebeu o Prémio Global 500 das Nações Unidas e o título de membro honorário da Ordem do Infante D. Henrique, atribuído pelo Senhor Presidente da República, Dr. Mário Soares. Alguns dos projectos da associação Quercus são: o Edifício Verde, a Eco-Casa e as Olimpíadas do ambiente.

 

mais informações no site oficial (ali no lado direito)

ola a todos os verdinhos e verdinhas! =D
bem, este é o meu primeiro post a "solo"..espero que gostem! :)

Face ao grande desenvolvimento que se verificou na população mundial, é cada vez mais frequente a existência de graves problemas a nível global que comprometem a promoção de um desenvolvimento sustentável. Um dos problemas que certamente mais afectará o futuro das populações humanas é a poluição das águas, pelo que uma gestão equilibrada deste recurso é uma das questões vitais do novo milénio.

O ramo da hidrologia (ciência que estuda as águas) que estuda as águas subterrâneas é a hidrogeologia que tem em conta o armazenamento, a circulação e distribuição das águas terrestres na zona saturada das formações geológicas. É efectuado um estudo em que são avaliados aspectos essenciais, como as propriedades físicas e químicas da água, as suas interacções com o meio físico e biológico e as alterações provocadas pelas actividades antrópicas.

As rochas podem funcionar como reservatórios de água, armazenando maiores ou menores quantidades consoante as suas características. Pode ter-se acesso à extracção de águas através de técnicas apropriadas.

As aguas subterrâneas situam-se em aquíferos, que são formações geológicas subterrâneas que possuem a capacidade de armazenar água e permite a sua circulação de forma que o homem a possa extrair em condições economicamente rentáveis e sem impactes ambientais negativos.

Muitas actividades antrópicas, especialmente nas zonas de recarga dos aquíferos, podem ter graves consequências. Podem originar formas de poluição física (temperatura, radioactividade), química (metais pesados, excesso de nutrientes) e biológica (vírus, bactérias) que vão alterar as qualidades das águas subterrâneas, tornando a água imprópria para consumo humano. Assim, é cada vez mais importante que cada um de nós esteja preparado para assumir uma atitude de defesa deste bem precioso e cada vez mais raro, evitando um desperdício deste recurso natural ainda renovável.

Temos então que tomar algumas medidas de preservação dos aquíferos:
*Controlo dos processos antrópicos (industrias, poços…)
*Análise periódica da qualidade da água captada
*Coimas pesadas ao nível individual e colectivo para quem polua estes recursos
*Sensibilização das populações para o uso correcto da água
*Incentivo à gestão racional dos recursos hidrológicos


A água tem um valor muito importante para a vida na terra. Sendo assim, é necessário encontrar uma gestão sustentável deste recurso natural. Para isso é preciso que cada um de nós seja responsável e pratique um uso eficiente da água, é também vital que cada um de nós tenha um papel activo na protecção dos aquíferos.

Numa sociedade moderna, a exploração dos recursos geológicos deve assentar na procura de soluções que evitem o rápido esgotamento das reservas, bem como minimizar os impactes ambientais dessa actividade.
Uma exploração sustentada dos recursos geológicos tem de estar enquadrada num modelo global de desenvolvimento que permita às gerações presentes satisfazer as suas necessidades sem pôr em risco a possibilidade de as gerações futuras virem a satisfazer as suas próprias necessidades. Torna-se assim urgente aprender a encontrar soluções de sustentabilidade em vez de decisões centradas em lucro.

.
01 Jun, 2007

Reach

Olá a todos os leitores do verde,

Hoje é dia 1 de Junho, um dia que vamos considerar muito importante. Não só por ser dia da criança, isso já todos nós sabemos, mas também porque é um dia verde, pois vai entrar em vigor o REACH.

O que é o REACH??

REACH – Regulação, Avaliação e Autorização de substâncias químicas,

trata-se da nova politica europeia para o uso de substâncias químicas, que pertende dar uma nova orientação aos produtos químicos que circulam na Europa. Contudo apenas com o esforço de todos se poderá concretizar...


O que pretende o REACH, quais as vantagens e desvantagens?

Actualmente, mais de 90% das substâncias existentes não foi testada quanto aos seus impactos para a saúde humana e o ambiente. O Regulamento REACH pretende, ao longo dos próximos 12 anos, substituir por alternativas mais seguras químicos que são persistentes e bioacumulativos ao mesmo tempo que as empresas terão que disponibilizar informação ligada às áreas da saúde e da segurança para os químicos que produzem ou importem para a Europa em volumes elevados.

Mas nem tudo foi considerado, o Parlamento e Conselho Europeus deixaram na aprovação final, de fora milhares de químicos que deveriam ter sido considerados, e que não serão portanto avaliados quanto à sua segurança ambiental e de saúde pública. O que vai levar a que químicos potencialmente cancerigenos, mutagénicos, ... , continuarão a ser utilizados em produtos para fins de consumo.

A legislação REACH prevê inúmeras revisões ao longo da sua vigência. Estas revisões darão à Comissão Europeia e aos Estados-membros a oportunidade de colmatar as falhas agora existentes.
Esperemos.

A situação portuguesa em relação ao REACH.

Ao que se sabe Portugal ainda pouco ou nada estabeleceu acerca deste programa, não estando ainda clarificada a distribuição das competências inerentes à aplicação do Regulamento, isto quando faltam poucos dias para a sua entrada em vigor.





É importante compreender que a aplicação deste regulamento é um desafio para os Estados, para os cidadãos e para as organizações que os representam, mas é principalmente um desafio para as empresas que produzem e utilizam as substâncias que estarão sujeitas ao regulamento.

P.S: fonte de informação Quercus

Semana no Verde


2ª feira - Fauna & Flora
ver
3ª - Locais Verdes
ver
4ª - Conselhos Verdes
ver
5ª feira - Imagem Verde da Semana
ver
6ª feira - Blog/Associação Verde da Semana
ver

Pág. 4/4