26.7.07


Cada vez mais temos electrodomésticos que estão sempre acessíveis e prontos a ser usados a partir de um comando. Mas para que isso seja possível é necessário que os aparelhos tenham um consumo mínimo de energia que lhes permita activarem as suas funções quase imediatamente, o que acarreta um consumo constante de energia - o chamado consumo Stand-by.

O Stand-by é o estado em que o aparelho fica quando não está a ser usado. O exemplo mais reconhecido de consumo em Stand-by é a luz que fica acesa num aparelho quando este é desligado no comando, que nos aparelhos recentes representa um consumo mais baixo do que se estiver a ser utilizado, mas nos aparelhos antigos consome praticamente a mesma energia do que se estivesse a ser usado. Outros bons exemplos de consumo Stand-by são os verificados nos vídeos, DVDs e aparelhagens que quando não estão a ser usados estão a consumir energia na mesma, pois têm relógios a funcionar.

Vale a pena lembrar que alguns aparelhos consomem energia mesmo estando desligados e para que eles não consumam nada é necessário que sejam desligados da tomada. Por exemplo, alguns monitores ligados consomem 90W, em Stand-by (espera) consomem 15w e desligados consomem 5W.

É aconselhável que se desligue todo equipamento das tomadas, ou em alternativa ligar os aparelhos a uma tomada eléctrica com interruptor (power-strip), que consome 1 a 3 W, mas que é preferível ao consumo total dos aparelhos que se ligarem a estas tomadas, que pode atingir os 75 W. Assim evita-se o consumo desnecessário de energia, e também se previne uma eventual sobrecarga que pode acontecer quando a energia volta após uma falta de energia.

Este consumo deve ser evitado em períodos de férias e/ou quando não se utilizam os equipamentos (em casas de férias ou de fim de semana).

Estima-se que o consumo anual médio em Stand-by para cada lar Português seja de 377 kWh/ano, o que corresponde a uma despesa de 37,25 €.

Apresentam-se em seguida alguns exemplos de consumo em Stand-by de alguns aparelhos:



Fonte de informação: ecocasa





Esta semana cerca de 50 pessoas responderam à pergunta colocada das quais cerca de 20 confessaram nunca ou raramente desligarem completamente os aparelhos, no entanto nem tudo é mau, 12 pessoas afirmam desligar sempre os aparelhos, neste caso concreto a televisão, estes resultados mostram-nos que já há alguma sensibilização para a causa gastos de energia, no entanto ainda há bastantes arrestas a limar.

Obrigado a todos os que participaram e já aí está uma nova pergunta para responder
Link do postPor Marta Santos, às 11:50  Comentar

13.7.07
chegou-me o seguinte e-mail à caixa do correio:


Exmos. Srs.
Encontramo-nos a promover o evento Certificação Energética de Edifícios que se realizará no próximo dia 20/Julho entre as 14 Horas e as 19 Horas em Coimbra, que terá como oradores os Engenheiros Carlos Nascimento, Director da Agência para a Energia, e João de Jesus Ferreira, Presidente da Gerência da Sociedade Portuguesa de Certificação Energética.
Somos a solicitar a V. Exas. o obsequio de divulgarem este evento junto da classe que representam.
Para participar nesta acção de formação deverá formalizar a inscrição e fazer o pagamento.

Preço Normal: 50 €
A Conclusão, Lda oferecerá uma inscrição gratuita por cada grupo de cinco inscrições realizadas em simultâneo.
Deverão contactar_Tel. 239.497.990_e-mail: secretariado@conclusao.com
Com os nossos melhores cumprimentos,

Departamento de Formação Profissional
Nuno Marques


Localização e contactos:

Rua Manuel Madeira – Edifício Delta 2.º Dto | 3025-047 COIMBRA |NIPC.501.906.100

Tel. (+351) 239.497990/1 | Fax. (+351) 239.497999 | Telemóveis: 91.661 39 60; 96.397 24 75

www.conclusao.com





O recado fica dado e aconselha-se. É importante conseguirmos promover a eficiência energética das nossas habitações, para que possam tornar-se mais confortáveis e mais económicas.
Link do postPor Marta Santos, às 15:31  Comentar

23.6.07



A partir de Julho, as casas a construir terão de ter um certificado de eficiência energética, tal como acontece com os electrodomésticos, mas subsistem dúvidas nos profissionais do sector e no público em geral.


"Já recebemos muitos pedidos de clientes e temos dificuldades. Os projectistas estão a passar a bola para os empreiteiros e não sabemos, em concreto, quem são os interlocutores", comentou um construtor civil, durante um debate organizado ontem à noite em Aveiro, pela Ordem dos Arquitectos.

A exigência decorre da calendarização do Sistema de Certificação Energética e da Qualidade do Ar Interior nos edifícios, que transpõe uma directiva comunitária relativa ao desempenho energético e vai-se estender, já em 2009, às construções existentes, quando forem transaccionáveis.

Conforme esclarecimento dado no debate por um dos oradores, André Cruz, da Vulcano, os novos regulamentos de eficiência energética das casas e edifícios entram em vigor já em Julho, mas não se aplicam a construções já iniciadas.

Apesar disso, a certificação vai ter impacto no valor comercial das casas, o que é importante para os promotores imobiliários, que podem ver desvalorizados pelo mercado os espaços ainda sem certificação.

No âmbito do sistema nacional de certificação energética, está a ser criada uma bolsa de peritos para verificar a eficiência energética na fase de licenciamento das construções e depois na fase de execução da obra.

"Para obter a licença de habitação de uma casa vai ser preciso obter o certificado energético", esclareceu André Cruz.

Além da aplicação dessas normas ao mercado habitacional, os edifícios de serviços vão estar sujeitos a acções regulares de monitorização dos consumos energéticos, à imagem do que se passa com as inspecções obrigatórias aos automóveis, para garantir que mantêm a eficiência energética certificada.

Na sequência do Protocolo de Quioto, a Europa criou quotas de emissão de gases de estufa. A grande responsabilidade dos edifícios no consumo energético leva a que se tente agora, pela via legislativa, impor uma maior eficiência.

Os países do sul da Europa, como Portugal, apostam na energia solar térmica por ser, nas energias alternativas, a mais testada e mais económica, pelo que, segundo António Manso, da Vulcano, o novo enquadramento legislativo e a exposição solar deverão conduzir a um rápido crescimento desse tipo de soluções.


in Ecosfera Publico

Link do postPor Marta Santos, às 17:41  Ver comentários (6) Comentar


Olá a todos! Aqui está um novo blog "verde" por sinal, aqui ficarão registados pequenos apontamentos acerca do nosso mundo natural, ecologia, ambiente, entre outros... O objectivo? Aprendermos todos um pouco mais. Esperemos que gostem!
Pesquisar no Verde
 
Maio 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Semana no Verde

2ª feira - Fauna & Flora
ver
3ª - Locais Verdes
ver
4ª - Conselhos Verdes
ver
5ª feira - Imagem Verde da Semana
ver
6ª feira - Blog/Associação Verde da Semana
ver
www.greenpeace.pt
Contactar o Verde
Se tiver algo a dizer sobre o Verde, não hesite em contactar-lo. A sua opinião será sempre útil e bem vinda. Os contactos são: daniela_urbano1@hotmail.com andre.f.veiga@gmail.com
Comentários Recentes
Obliglado devem ser estabelecidas regras têm siste...
Se ao invés disso eles eram animais que serão bloq...
Olá, parabéns pelo blog!Conte conosco para dicas e...
Posts mais Comentados
subscrever feeds
blogs SAPO